Aniversário com triste história no Maracanã

Por Vicente Dattoli (Brasil) – vicentedattoli@hotmail.com 

RIO DE JANEIRO, Brasil, 19 de junho de 2020.- Há poucos dias, nesta semana, o Maracanã completou 70 anos de existência.

Aquele que já foi o maior estádio de futebol do mundo, que recebeu duas finais de Copa do Mundo; que acolheu a abertura e o encerramento de uma Olimpíada; que presenciou um show de Frank Sinatra; que rezou junto com o Papa João Paulo II; que viu pela primeira vez uma partida de vôlei a céu aberto; chegou a sete décadas dia 16.

Infelizmente não pode haver festa: o mundo enfrenta uma pandemia, com milhões de infectados e milhares de mortes. O Brasil chega a um milhão de doentes, com quase 50 mil mortes – pelos dados oficiais, que todos sabem ser menores do que os reais. O Rio de Janeiro, a Cidade Maravilhosa, é uma das mais infectadas no país.

Mesmo assim, diante da pouca ação das autoridades, o futebol voltou. Nesta quinta-feira, houve uma partida pelo Campeonato Carioca, entre Flamengo e Bangu. Sem torcedores, sem transmissão pela televisão, quase um jogo clandestino.

Ao lado Maracanã, de tantas festas em seus 70 anos, está instalado um hospital de campanha. Na hora do jogo, enquanto 22 atletas corriam em campo, um número maior de seres humanos lutava pela vida naquele local. Eram 22 jogadores de futebol e 26 internados na Unidade de Terapia Intensiva – dois morreriam, infelizmente.

O Brasil, que o mundo conhece pela festa e alegria de seu povo está triste e enlutado.

Faltam leitos de hospital, apesar de os números oficiais afirmarem que a letalidade está menor.

O futebol… Bem, a maior paixão do povo brasileiro voltou.

Apenas no Rio de Janeiro.

O comandante deste absurdo, desta triste demonstração de pequeno poder foi o clube que detém o título nacional e o título do continente, o Flamengo (ao lado de outros dirigentes, é claro, contra as vontades, apenas, de Fluminense e Botafogo). Curiosamente é o clube com o maior número de torcedores no país, uns 40 milhões, segundo as estatísticas.

O mesmo Flamengo, por sinal, onde dez adolescentes morreram num incêndio em seu centro de treinamentos, há pouco mais de um ano.

No mesmo dia, o Brasil permaneceu mergulhado em crise política e institucional.

O jogo? Bem, terminou 3 a 0 para o Flamengo, mas o que importa diante de todo o restante do triste cenário?

—-

ENGLISH 

Anniversary with sad history in Maracana 

RIO DE JANEIRO, Brazil, June 19, 2020.- A few days ago, this week, Maracanã completed 70 years of existence.

What was once the largest stadium in the world, for 200 thousand people; which hosted two World Cup finals; that welcomed opening and closing of an Olympics; who witnessed a Frank Sinatra show; who prayed with a Pope John Paul II; who saw an open-air volleyball match for the first time; reached seven decades on 16th.

Unfortunately, there can be no party: the world is facing a pandemic, with millions of infected and thousands of deaths. Brazil reaches one million patients, with almost 50 thousand deaths – according to official data, which all know to be smaller than the real situation. Rio de Janeiro, the Marvelous City, is one of the most infected in the country.

Even so, in the face of little action by the authorities, football returned. This thursday, there was a match for the Carioca Championship between Flamengo and Bangu. No fans, no television, almost a clandestine game.

At the side of Maracanã Stadium, a field hospital is installed. At the time of the game, while 22 athletes were running on the field, more human beings were fighting for life in the hospital. There were 22 soccer players and 26 hospitalized in the Intensive Care Unit – two would die, unfortunately.

Brazil, which the world knows for the feast and joy of its people is sad and mourning.

Hospital beds missing, although official figures say lethality is lower.

Football… Well, the greatest passion of the Brazilian people has returned.

Only in Rio de Janeiro.

The commander of theis absurdity, this sad demonstration of small power was the club that holds the Brazilian Championship in 2019 and the title of the continent, Flamengo (and some others dirigents, of course, against the opinion of Fluminense e Botafogo, only).

The same club that, where ten teenagers died after a fire at the trainning center, also in 2019.

Interestingly, it is the club with the largest number of fans in Brazil, some 40 millions, according to statistics.

On the same day Brazil remained plunged into political and institutional crisis.

The game? Well, it ended 3-0 for Flamengo, but what does it matter in the face of all the rest?