Sofisticada abertura dos jogos Pan-Americanos de Lima 2019

Por Philipe Alves (Brasil) – Jornalista Jovem AIPS América

LIMA, Peru, 27 de julho de 2019.- A cerimônia de 4 horas passou num piscar de olhos e contou em detalhes a história do Peru Com mais de 20 metros de altura e aproximadamente 40 de largura, a escultura principal que todos viram na cerimônia de abertura da 18ª edição dos Jogos Pan-Americanos foi uma homenagem ao Monte Pariacaca, a montanha peruana que está 5.751 metros acima do nível do mar faz parte da cordilheira dos Andes. O local é considerado sagrado porque antigamente teria sido um santuário de culto aos deuses.

O Pariacaca esteve durante todo o tempo no Estádio Nacional do Peru e deixou todos os presentes encantados. O tempo frio contribuiu para que o público sentisse um pouco da sensação de estar em um pico nevado. Com projeções e luzes o monte sagrado invocou foi todos os jogos Pan-Americanos, que começaram em Buenos Aires (1951) até a edição de Lima.

A tecnologia permitiu que o cume se transformasse em outros montes, como o tradicionalíssimo Machu Picchu. A medida que a festa avançava, a montanha foi visitada por turistas, guerreiros, artesãos e atletas como a peruana Cecilia Tait, medalhista olímpica de prata no voleibol durante os jogos de Seoul, na Coreia do Sul (1988), que subiu o monte com a tocha para acender a pira.

A cerimônia em vários momentos reconheceu a importância da cultura e das tradições peruanas, costumes, danças, comida, tecidos. Tudo isso foi pensado pelo mexicano Francisco Negrín, que começou a carreira como assistente de direção em óperas, na França. O estilo musical também marcou presença na festa de abertura. A violinista Pauchi Sasaki se apresentou. Depois foi a vez do tenor Peruano Juan Diego Flores, que foi aplaudido de pé pelo público do estádio.

Outro peruano reconhecido, que também foi muito aplaudido, foi o presidente da república, Martín Vizcarra, que em um discurso simples e rápido ressaltou a importância da história do Peru, assim como da cultura nacional. Ele cumprimentou o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach antes de declarar os jogos abertos. Os mais de 6 mil e setecentos atletas dos 41 países dos jogos Pan-Americanos desfilaram pelo estádio.

Das delegações, uma chamou a atenção por ter entrado com duas porta-bandeiras. O Brasil entrou com uma dupla de mulheres velejadoras. Martine Grael estava nos ombros de Kahena Kunze levando a bandeira de Brasil. Ao todo, a delegação brasileira tem mais de 480 atletas. Esta edição dos jogos Pan-Americanos tem 39 modalidades esportivas, que incluem 69 disciplinas, distribuídas em 21 arenas de competição.

Ao todo o Pan-Americano de 2019 tem mais modalidades que os jogos olímpicos do próximo ano, em Tóquio. Em Lima, competições de Boliche, Fisiculturismo, Pelota Vasca, Raquetebol, Esqui Aquático e Surf são as novas modalidades. Mas há dois esportes dos jogos olímpicos 2020 que não estão no Pan: Skate e escalada.

Fechando a noite outra novidade foi o show vibrante do porto-riquenho Luis Fonsi. Durante a apresentação ele fez um dueto com a peruana Leslie Shaw e encerrou a noite levantando as arquibancadas com o hit “despacito”, que o tornou mundialmente conhecido.